Como me descobri no meu corpo

Eu achava que já sabia tudo sobre saúde feminina e era expert no meu corpo, mas a verdade é que aprendo algo diferente todos os dias – uma verdadeira jornada de autodescoberta feminina.

Sou aquela pessoa que discute ciclo menstrual na mesa de bar e sempre enche as amigas de curiosidades mais ou menos úteis sobre essa coisa doida que é o corpo humano feminino

Mas nem sempre foi assim! 👀

A verdade é que minha vida realmente mudou depois que comecei a prestar mais atenção no meu corpo e a olhar para o mundo a partir dele. Explico…

Até o início da minha vida adulta, eu meio que ignorava a existência do meu corpo – as camadas que envolvem o estado físico e o ser.

Ele estava ali e nós convivíamos em relativa harmonia, mas nada além disso. Era como se eu vivesse dentro da minha cabeça e o corpo estivesse ali “apenas” para me levar de um lugar para o outro.

A reviravolta de 2015 na minha autodescoberta

Isso começou a mudar em 2015, um ano nefasto em que várias pessoas da minha família ficaram doentes e muito debilitadas. Comecei a ver que aquele corpo que eu tinha – com suas engrenagens tão perfeitas e bem azeitadas, que sequer se faziam notar no dia a dia – não era algo tão trivial como eu pensava.

É meu corpo que me leva de um lugar para o outro! É com ele que experimento o mundo, provo comidas gostosas, dou risada, gozo, danço!!!” – minha cabeça começou a explodir com essas obviedades que, na verdade, não são tão óbvias assim. 

Essa mudança de perspectiva também me fez olhar para a forma como nossos corpos existem no mundo – seja para pensar sobre os efeitos políticos de carregar um útero aqui dentro, seja para entender como estar ou não saudável afeta todos os âmbitos da nossa vida.

Em outras palavras: corpo é um assunto inesgotável, mas em todos os prismas desse universo único, destaco a potência da autodescoberta feminina. Por isso, fico feliz por ter um espaço além da mesa de bar para compartilhar essas reflexões.

Autoconhecimento é Poder: Descubra-se!

Cada corpo é único e cada pessoa também. Quanto mais cedo olharmos para o universo que existe dentro da gente, mais autonomia teremos para construir nosso próprio caminho.

Uma das esferas que suporta nosso estado de autodescoberta feminina é, com certeza, a fertilidade (ou o contrário também, a infertilidade).

Com ou sem planos de engravidar, conhecer o seu corpo e a sua fertilidade te dá ferramentas para você planejar sua vida e ter mais escolhas no futuro. Faça isso com a avaliação preventiva de vida fértil da Oya – direto da sua casa e pelo melhor preço do mercado.

Que tal estreitar as relações com seu próprio corpo a partir da fertilidade? É só clicar aqui e fazer seu agendamento.

Autodescoberta também é ter cuidado com a sua saúde íntima e as infecções oportunistas!

Quem lembra da primeira vez de Jove e Juma dentro do rio, lá em Pantanal? Se você se perguntou se o rio era mesmo o melhor cenário para esse tipo de intimidade, é hora de obter as respostas!

Apesar de ser uma cena emblemática da novela, brincadeiras bobas e gostosas em meio à natureza podem ser arriscadas quando o assunto é saúde íntima. Confira os motivos:

  • Por mais cristalinas que sejam as águas, o corpo aquático é casa de uma série de microorganismos que podem desequilibrar a flora vaginal e causar infecções oportunistas no trato urinário;
  • Outro fator de risco está no pH da região íntima, que pode ser alterado no contato com a água ou até mesmo com calcinhas úmidas. Resultado: coceiras, ardências e secreções de odor suspeito, além de dores que podem prejudicar inclusive o ato sexual;
  • É importante dizer que transar embaixo da água pode até ser uma aventura deliciosa, mas não favorece em nada a lubrificação da região íntima, o que pode resultar em uma experiência bastante desconfortável, com risco de fissuras na vulva – especialmente para quem nunca praticou sexo com penetração.

Outras formas de se descobrir

Não é porque estamos falando de corpo que vamos deixar a saúde da mente de lado, afinal, novos tempos requer novos olhares, novos cuidados – que não tão novos assim, mas ainda geram muito tabu.

Em busca da autodescoberta para expandir os horizontes intelectuais fui atrás do time da Oya para saber as melhores indicações de livros até o momento e compartilho as respostas com você. Ainda dá tempo de descobrir seu melhor livro do ano!

Sobre a Brevidade da Vida, de Sêneca

“Um conjunto de epístolas que traz à tona a reflexão sobre as futilidades humanas. Profundo pensamento sobre o tempo e as experiências que criam consciência de satisfação duradoura e atravessa eras e gerações.”

A Rosa mais vermelha desabrocha, de Liv Strömquist.

“Um livro em quadrinhos sobre o amor nos tempos do capitalismo tardio. Liv aborda a dificuldade de se entregar às paixões nos dias de hoje citando filósofos e nomes da cultura pop com muito humor. Bom para ler e reler além de ter ótimas ilustrações!”

Angola Janga, de Marcelo D’Salete

“Um livro de desenha heróis reais de pele preta, escapando da desumanidade da escravidão e defendendo quilombos com muita luta. Tudo lindo (e doloroso): texto e arte.”

ESCRITO POR

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais