Infertilidade masculina: quais as principais causas? Tem cura?

A infertilidade é uma condição identificada em casais heterossexuais que não conseguem engravidar naturalmente após um ano de tentativas regulares. Ela afeta cerca de 10% dos casais heterossexuais em todo o mundo, e, ao contrário do que se acredita, pode ser causada por diversos fatores.

Com frequência, são as mulheres que carregam o peso da infertilidade. No entanto, fatores masculinos representam até 35% dos casos de infertilidade em casais heterossexuais. Por isso, para quem deseja engravidar de forma natural e não está conseguindo, vale a pena investigar também a infertilidade masculina.

Ao longo deste conteúdo, a Oya te conta quais são as principais causas de infertilidade masculina, se a idade também é um fator importante, quais os sintomas indicativos de infertilidade e se essa condição tem cura. Que tal convidar o seu par a participar dessa leitura? Vamos juntos?

Quais as causas mais comuns de infertilidade masculina?

Assim como acontece nos casos de infertilidade feminina, falamos de infertilidade masculina quando há incapacidade de engravidar após um ano de tentativas regulares para pessoas de até 35 anos. Acima dessa idade, 6 meses de tentativas frustradas já podem ser consideradas um quadro de infertilidade. Em cerca de 10% a 20% dos casos, não é possível identificar a causa para a infertilidade masculina. Os médicos se referem a esse cenário como “infertilidade masculina idiopática”. No entanto, há situações em que as causas são identificáveis e mesmo tratáveis. Olha só:

Doenças endócrinas e sistêmicas

A principal doença endocrinológica e que afeta a fertilidade masculina é o hipogonadismo hipogonadotrófico, responsável por até 15% dos casos de infertilidade masculina. Parece um nome difícil, mas a gente te ajuda a entender o mediquês: basicamente, é uma condição em que o eixo hormonal masculino não consegue estimular a produção de hormônios sexuais, como a testosterona.

Isso faz com que haja dificuldade na produção de espermatozoides, o que impede a gravidez de forma natural. 

As causas dessa doença também podem ser várias: tumores cranianos, traumatismos, uso de drogas como opióides e canabinóides, e até doenças crônicas que geram grande deficiência nutricional. Mas, felizmente, ela pode ser tratada a partir da reposição de testosterona

Defeitos da espermatogênese

São muitas as doenças e situações que podem diminuir ou zerar a produção de espermatozoides, e elas são responsáveis por até 80% dos casos de infertilidade masculina. Alguns exemplos são: 

  • Problemas genéticos;
  • Criptorquidia, condição em que os testículos não descem para o escroto, ficando presos no abdome ou na pelve;
  • Varicocele, ou seja, a dilatação das veias que drenam o sangue testicular, o que gera uma alteração na função dos testículos e, consequentemente, na produção de espermatozoides;
  • Infecções do testículo, também chamadas de orquite;
  • Torção muscular;
  • Exposição à radiação, como em tratamentos de quimioterapia e radioterapia.

Além disso, um estudo recente mostrou que o alto consumo de tabaco também afeta a qualidade do esperma e, portanto, a fertilidade masculina. Outras pesquisas apontaram que, além do cigarro, o consumo exagerado de álcool também contribui para o quadro de infertilidade.

Doenças do transporte do esperma

Esses casos representam de 2% a 5% dos diagnósticos de infertilidade masculina, e incluem problemas de formação em diversas partes do órgão reprodutor: o epidídimo (local onde se armazenam os gametas), ductos deferentes, vesícula seminal e próstata.

Soma-se a isso os problemas na ejaculação, que podem ocorrer graças a uma produção incomum de sêmen, a um “mau armazenamento” de sêmen ou a dificuldade de expulsão. 

A idade importa para a fertilidade masculina?

Sim! Nós estamos acostumadas a pensar que uma pessoa do sexo masculino não precisa se preocupar com a idade, ao contrário do que acontece com as pessoas do sexo feminino, que lidam com o fim da reserva ovariana. Mas isso não é verdade.

O aumento da idade masculina (por volta dos 40 anos!) também está relacionado à diminuição da fertilidade natural, o que pode implicar em mais tempo de tentativas até chegar na gravidez. Além disso, o envelhecimento também diminui o número, a qualidade, a motilidade e a morfologia dos espermatozoides, o que torna mais difícil uma gravidez natural.

A idade também influencia no volume de esperma ejaculado, que tende a diminuir, bem como na frequência das relações sexuais, o que contribui negativamente para a fertilidade masculina. 

Por fim, o risco de doenças que afetam a produção de testosterona também aumenta com a idade. O câncer de próstata e alterações nos níveis de colesterol podem ter impactos negativos na fertilidade, e mesmo impedi-la de vez.

Ou seja: ainda que seja mais fácil para uma pessoa do sexo masculino ter filhos naturalmente mesmo após os 40 anos, a idade também desempenha um papel importante quando falamos de infertilidade masculina. 

Quais são os sintomas de infertilidade masculina?

Como explicamos, são muitas as causas que podem levar à infertilidade masculina. Por isso, não é simples determinar uma lista de sintomas característicos dessa condição. A melhor maneira de identificar uma possível infertilidade na sua parceria é quando você está tentando engravidar, mas não tá rolando

O mais comum, infelizmente, é que as mulheres se responsabilizem pelas dificuldades e enfrentem sozinhas uma série de consultas e exames na busca por um diagnóstico. E aí, só depois de esgotar todas as probabilidades, surge a hipótese da infertilidade masculina. Mas não precisa ser assim.

Nesses cenários, o casal deve investigar possíveis causas de infertilidade e tentar descobrir, em conjunto, se existe algum fator que possa estar causando esse diagnóstico. Em caso positivo, existem inúmeros tratamentos, masculinos e femininos, que podem ser considerados.

Como saber se um homem é infértil?

Em geral, a análise da infertilidade masculina é feita através do sêmen, num exame conhecido como espermograma. Nessa investigação, são avaliados fatores como quantidade, mobilidade, formato e concentração dos espermatozoides. Também são levados em consideração o pH e o volume do sêmen, e se há presença de outras células ou outros tipos de problema.

Em alguns casos, podem ser solicitados, ainda, exames de sangue, exames clínicos para avaliar o tamanho dos testículos e exames de imagem para identificar se há alguma obstrução no caminho de passagem dos espermatozoides. 

Esse tipo de investigação pode ser realizada em casos de dúvida ou apenas por curiosidade, principalmente se houver casos de infertilidade masculina na família. Ou seja: você não precisa já estar suspeitando de uma infertilidade masculina para descobrir se está tudo bem com a sua saúde reprodutiva.

A infertilidade masculina tem cura?

Em alguns casos, sim. Tudo dependerá da causa da infertilidade masculina e dos tratamentos disponíveis para resolvê-las. Em alguns cenários, a reposição de hormônios masculinos, como a testosterona, pode ser suficiente. Em outros, podem ser necessárias intervenções maiores.

De toda forma, porém, a infertilidade masculina não é um atestado de impossibilidade de ter filhos naturalmente. Assim como acontece com a infertilidade feminina, existem opções de tratamentos de reprodução assistida que podem auxiliar o processo de concepção. Alguns exemplos são:

  • O coito programado, que aumenta as chances de gravidez porque aponta os melhores momentos para a relação acontecer. Essa técnica pode ou não ter uso de medicações;
  • A inseminação intrauterina, que acontece quando o sêmen é introduzido no útero. É um procedimento rápido e que não precisa nem de anestesia;
  • A fertilização in vitro, na qual o espermatozoide é unido ao óvulo, evolui para um embrião e é, então, introduzido no útero.

A Oya Care pode estar ao seu lado em todo esse processo, desde a suspeita de infertilidade até a escolha do melhor tipo de tratamento de reprodução assistida. 

Na nossa clínica, em São Paulo, você conversa com uma médica especialista em fertilidade e tira todas as suas dúvidas. Depois, nós criamos, juntos, um plano personalizado de ação, específico para o seu caso. 

Ou seja: nada de respostas prontas, nem de julgamentos. Na Oya, conhecimento e acolhimento andam juntos, e você recebe todas as informações de que precisa para tomar decisões seguras. Mande uma mensagem pra nossa equipe e agende a sua consulta!

ESCRITO POR

COM APOIO CIENTÍFICO DE

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

como me descobri no meu corpo

Como me descobri no meu corpo

Um convite a autodescoberta feminina e todas as suas camadas: da percepção do corpo, da mente, da sexualidade e da fertilidade

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais