Fases do ciclo menstrual: quais são? Como afetam a rotina?

Você já reparou que, durante alguns dias do mês, se sente mais bonita e disposta? Ou que, em outros, sua energia e sua autoestima costumam estar mais pra baixo? Já sentiu que seu apetite muda, e que de vez em quando você está mais a fim de um docinho? Isso tudo tem uma explicação: são as fases do ciclo menstrual.

Nosso corpo tem ciclos hormonais bem definidos, que tendem a alterar o nosso estilo de vida. Em geral, a gente passa por essas mudanças sem saber direito o que está acontecendo. Mas a verdade é que conhecer as fases do nosso ciclo menstrual ajuda a construir uma rotina mais equilibrada.

Além disso, é uma forma natural de entender quando estamos mais propensas a engravidar. Ou seja: conhecer as fases do ciclo menstrual nos dá mais autonomia. Vem que a Oya te ajuda a entender todos os detalhes dessas fases!

Passo a passo: quais são as fases do ciclo menstrual?

O ciclo menstrual é o período em que um óvulo se desenvolve, é liberado dos ovários, se fixa no tecido endometrial (aquele que reveste a parede do útero), morre e é liberado na menstruação — a menos que uma gravidez aconteça. 

O ciclo menstrual é dividido em quatro fases, e a sua duração pode variar de mulher para mulher — mas, em geral, dura 28 dias. Por isso, conhecer bem as fases do ciclo menstrual te ajuda a identificar quando alguma coisa está errada no seu corpo. Lembre-se: seu ciclo e sua fertilidade andam juntos!

Para te ajudar a entender tudo isso, a gente construiu um passo a passo descomplicado. Olha só:

Etapa 1: Fase menstrual

O ciclo menstrual tem início na fase menstrual, ou seja, quando ocorre a menstruação. Em média, essa fase tem duração de 3 a 7 dias, mas pode variar.

O início dessa etapa acontece quando o óvulo liberado no final do ciclo anterior não é fecundado por um espermatozoide. Ou seja: quando a mulher não engravida. Dessa forma, há uma queda nos hormônios de progesterona e estrogênio e o revestimento do útero começa a descamar — é isso que gera a menstruação.

Os sintomas comuns dessa fase são:

  • Cólicas;
  • Sensibilidade nos seios;
  • Inchaço;
  • Mudanças de humor;
  • Irritabilidade;
  • Dores de cabeça;
  • Cansaço;
  • Dor lombar.

Vale lembrar que ciclos menstruais muuuuito longos (por exemplo, com mais de 40 dias de separação entre uma menstruação e outra) ou que não aparecem todos os meses podem ser sintomas de problemas ginecológicos mais graves, como a síndrome do ovário policístico. Por isso, vale ficar atenta a esses períodos e, se necessário, investigar. 

Etapa 2: Fase folicular

Essa fase do ciclo menstrual tem início no primeiro dia da menstruação. Assim, acontece uma sobreposição dela com a fase anterior, menstrual. Ela só termina quando acontece a ovulação, então pode durar de 11 a 27 dias, sendo 16 dias o mais comum.

Durante a fase folicular, o que acontece é o seguinte:

  1. O hipotálamo (uma região do cérebro) envia um sinal para a hipófise;
  2. A hipófise, ou pituitária (uma glândula), começa a liberar o hormônio folículo estimulante (FSH);
  3. O FSH estimula os ovários a produzir de 5 a 20 pequenos sacos, chamados de folículos;
  4. Cada um dos folículos contém um óvulo imaturo.

Em geral, apenas o óvulo imaturo mais saudável amadurece para ser liberado. Em ocasiões bem raras, porém, algumas mulheres podem liberar dois óvulos em um mesmo ciclo menstrual. Os demais folículos são reabsorvidos pelo corpo. 

Quando o folículo começa a amadurecer, há um aumento do estrogênio. A sua função é engrossar o revestimento do útero, para que ele fique rico em nutrientes e, portanto, pronto para receber o óvulo que, em tese, será fecundado.

Etapa 3: Fase de ovulação

Lembra que a gente falou que, durante a fase folicular, rola um aumento na produção de estrogênio pra deixar o útero pronto para o óvulo? Então. Esse aumento aciona glândula pituitária, que libera o hormônio luteinizante (LH) e inicia o processo de ovulação.

Na ovulação acontece a liberação do óvulo maduro, que desce pelas trompas em direção ao útero. Lá, ele espera ser fertilizado pelo espermatozoide.

Esta é a única fase do ciclo menstrual em que a mulher pode engravidar. Em um ciclo de 28 dias, ela acontece no dia 14 — ou seja, bem no meio de todo o processo. E o óvulo só dura cerca de 24 horas, se não for fertilizado.

Mas atenção! A gente já sabe que os espermatozoides podem sobreviver até 5 dias no corpo da mulher. Por isso, se você tiver relações sem proteção entre o dia 9 e o dia 14, há chances de rolar uma gravidez.

 Os sintomas mais comuns dessa fase são:

  • Ligeiro aumento da temperatura corporal;
  • Secreção vaginal (corrimento) mais espessa e transparente, lembrando clara de ovo.

Etapa 4: Fase lútea

Depois que um folículo libera o óvulo maduro, esse folículo se transforma no que chamamos “corpo lúteo”. Essa estrutura é responsável por liberar alguns hormônios, como o estrogênio e a progesterona, que fazem com que o revestimento do útero fique mais espesso.

Caso a gravidez ocorra, o nosso corpo começa a produzir o hormônio gonadotrofina coriônica humana (hCG) — aquele detectado nos exames. É ele que mantém o corpo lúteo e o revestimento espesso, preparando tudo para o desenvolvimento do embrião.

No entanto, quando a gravidez não acontece, o corpo lúteo encolhe e é reabsorvido. Isso faz com que os hormônios diminuam e alguns sintomas comuns apareçam: é o período da tensão pré-menstrual (TPM). São eles:

  • Sensação de inchaço e maior retenção de líquidos;
  • Dor, sensibilidade ou inchaço nos seios;
  • Mudanças de humor mais frequentes;
  • Dores de cabeça;
  • Aumento no peso;
  • Mudanças no desejo sexual;
  • Vontade de comer comidas específicas;
  • Dificuldades para dormir.

O fim da fase lútea é marcado pelo início da fase menstrual, quando tooodo o processo recomeça. A sua duração pode ir de 11 a 17 dias, com média de 14 dias.

Como as fases do ciclo menstrual influenciam na rotina?

As fases do ciclo menstrual podem ser uma ferramenta na hora de planejar a nossa rotina. Afinal, como nós explicamos, elas estão ligadas a diferentes níveis hormonais e afetam diretamente a nossa disposição, temperatura, autoestima etc.

Nós fizemos uma tabelinha pra te ajudar a planejar melhor o seu dia a dia. Olha só:

Fase menstrualFase folicularFase de ovulaçãoFase lútea
Pegar mais pesado nos treinos e exercíciosxx
Sair com as amigas pra se divertirxx
Ver filmes e séries debaixo do cobertorxx
Marcar reuniões importantesx
Tentar engravidarx

As fases do ciclo menstrual afetam a minha alimentação?

Sim! Um estudo recente mostrou que mulheres sentem mais fome durante a fase lútea (pré-menstrual), e também têm mais vontade de comer doces nesse período. Uma outra pesquisa também apontou que a retenção de líquidos é maior durante essa fase do ciclo menstrual.

No entanto, o contrário também acontece: ou seja, uma alimentação pouco saudável influencia negativamente o ciclo menstrual. Um estudo com estudantes do nível superior observou que o aumento do nível de estresse, associado a uma alimentação com muitos açúcares e frituras, geravam uma diminuição do ciclo menstrual como um todo.

Ou seja: para garantir que o seu corpo está funcionando como deveria, é fundamental investir em exercícios físicos e em uma alimentação mais saudável. Apostar em legumes e frutas da estação, por exemplo, é uma maneira barata e fácil de melhorar os nossos hábitos alimentares. 

Devo mudar a minha rotina de exercícios de acordo com a fase do ciclo menstrual? 

Sim! Essa é uma ótima opção pra quem não quer deixar o hábito de exercícios de lado durante as fases mais difíceis do ciclo menstrual. A verdade é que você não precisa cansar o seu corpo além da conta.

Olha só as recomendações que a Oya — e a ciência — dão para a prática de exercícios durante as diversas fases do ciclo menstrual:

  • Fase folicular: Com os níveis de hormônio aumentando, vale a pena experimentar exercícios mais intensos, como cárdio ou ioga. Apostar em atividades em grupo e novos exercícios também pode ser uma boa.
  • Fase de ovulação: Seu corpo está no auge! É hora de exercícios mais longos e de alta intensidade, como corridas, musculação pesada, spinning etc. Também é um período favorável para atividades em grupo.
  • Fase lútea: Chegando perto da hora de menstruar, a energia começa a abaixar e a gente se sente um pouco mais indisposta. Aqui, o segredo é apostar em exercícios de resistência, como a ioga e o pilates, e deixar o seu corpo ditar a intensidade.
  • Fase menstrual: Com o início da menstruação, a energia fica beeem mais baixa. É hora dos exercícios leves: caminhadas, alongamentos, pilates. Nada de levantar peso ou fazer práticas muito intensas, tá?

Não consigo identificar as fases do meu ciclo menstrual. E agora?

Não é incomum que uma mulher não saiba dizer exatamente em qual fase do ciclo menstrual ela está. No entanto, depois de aprender a identificar os sintomas de cada uma delas, você deve ser capaz de perceber essas mudanças.

Quando isso não acontece, pode ser que haja algum probleminha — ginecológico ou não! — atrapalhando os sinais do seu corpo. Desde um desequilíbrio hormonal até condições um pouco mais sérias, como a síndrome do ovário policístico, é fundamental procurar um médico para investigar esses sintomas. 

Alguns exemplos são:

  • Você menstrua por períodos muito longos, ou fica sem menstruar durante alguns meses;
  • Você tem cólicas incapacitantes, daquelas que nenhum remédio resolve; ou
  • Você costuma ter pioras ou aparecimento de sintomas de depressão antes de menstruar.

Nesses e em outros casos, a Oya pode te ajudar: o nosso SOS Ginecologista foi feito pra te dar suporte sem que seja necessário esperar vários dias para agendar uma consulta ou se deslocar até o outro lado da cidade pra falar com uma equipe médica especializada.

Em uma consulta online com ginecologista, você bate um papo sobre o que está te incomodando. A gente te ajuda a encontrar um diagnóstico e, se necessário, realizar exames.

Nossa consulta pode ser até 100% reembolsada pelo plano de saúde e é feita em um ambiente online acolhedor e empático, sem julgamentos e sem respostas prontas. Afinal, a sua saúde é sua! A gente tá aqui pra te auxiliar a conquistar essa autonomia. Vamos juntas?

ESCRITO POR

COM APOIO CIENTÍFICO DE

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais