Assine a Newsletter para receber conteúdos exclusivos

Master of None: infertilidade, solidão e o poder das histórias

A infertilidade costuma ser uma experiência solitária e as poucas histórias que temos sobre o tema ainda estão associadas a padrões normativos. A própria definição de infertilidade da OMS ainda é limitada à experiência de casais cisgênero e heterossexuais, mas a terceira temporada de Master of None, escrita por Aziz Ansari e Lena Waithe, veio para adicionar outros olhares a essa história.

A seguir contamos alguns spoilers sobre o enredo, mas juramos que eles não interferem na experiência!

Master of None mostra o poder das histórias

‍Desde o início, “perspectiva” foi o conceito que serviu de linha dorsal para Master of None. Na primeira temporada, acompanhamos o “protagonista” Dev e sua turma de amigos vivendo sua vida de jovens adultos em Nova York, e cada episódio tem como enfoque algum aspecto dessa vivência: trabalho, relacionamento com os pais, família, sexo, amores.

A segunda temporada, por sua vez, mistura a estrutura já conhecida com uma virada conceitual um pouco mais radical: rodados quase como um longa-metragem, alguns episódios se focam especificamente no relacionamento de Dev com Francesca (Alessandra Mastronardi) – e mostra como podemos viver experiências parecidas, mas ter impressões completamente diferentes sobre elas. Nosso gênero, raça, e história ajudam a moldar essas diferentes visões.

Já em outros episódios, Master of None tira o foco de Dev para contar histórias que vemos com menos frequência por aí: as diferentes “saídas do armário” de Denise (Lena Waithe), uma mulher negra e lésbica, para sua família, e as diferentes vidas de personagens tipicamente novaiorquinos que dificilmente são lembrados nas grandes narrativas sobre a cidade. Moments of Love, que marca o retorno da série em 2021, fala de maternidade, amor e amizade, mas na vida de mulheres negras e lésbicas – Denise e Alicia.

É a perspectiva, ou melhor, as diferentes perspectivas que costuram juntas uma série que não possui uma única trama, um único protagonista, um único tema. O que ela nos oferece são perspectivas sobre diversos temas e a potência que existe quando acessamos histórias a partir de perspectivas que são invisibilizadas. A fertilidade (e suas diferentes faces) é uma delas.

Em cena de Master Of None, Alicia manuseia seringa e frasco

Infertilidade & solidão

‍Em Moments in Love, título alternativo da terceira temporada de Master of None, conhecemos Alicia (Naomi Ackie), uma mulher que quer ser mãe. Mas Alicia é uma mulher lésbica, negra, de 37 anos, que quer ser mãe por conta própria, reivindicando autonomia sobre seu sonho de formar uma família, e é com muita delicadeza que a série mostra os altos e baixos do processo.

Em poucos episódios, Master of None consegue tocar em pontos importantes dessa jornada, como a forma com que pacientes LGBTQIA+ são invisibilizados nas políticas públicas e de planos de saúde relativas a fertilidade. Ao mesmo tempo, a produção consegue encontrar espaço para explorar alguns detalhes íntimos que não costumam aparecer nos protocolos que conhecemos sobre rotas alternativas para a fertilidade: o peso emocional da terapia hormonal, os pequenos constrangimentos, a ansiedade e, sobretudo, o silêncio, a solidão.

No entanto, ao lançar luz sobre esses momentos, a série consegue tirar essas histórias, e principalmente essas pessoas, da alienação. A infertilidade costuma ser uma experiência solitária, mas não precisa ser assim. Boas histórias possuem o poder de transformar essa jornada em uma experiência menos obscura e mais coletiva, com acolhimento e todos os direitos necessários para quem precisa enfrentá-la.

Boas histórias tornam nossos medos menos assustadores, e é por isso que precisamos falar de fertilidade. Vamos juntas?

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Ano novo, novos hábitos. Será?

Conforme amadurecemos e evoluímos em nossa jovem vida adulta, vamos entendendo qual o tipo de rotina faz sentido para o nosso estilo de vida, quais práticas contribuem para nosso bem

Balanço de fim de ano

Giuliana Giordano faz uma reflexão sobre nossa forma de lidar com as metas de fim de ano

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

plugins premium WordPress