Cuidados íntimos no verão: veja 7 dicas para manter sua saúde!

As mudanças climáticas vêm acendendo uma série de alertas importantes, principalmente quando o assunto é a nossa saúde. Com o aumento drástico das temperaturas, os verões ficam muito mais intensos e o cuidado redobrado passa a ser indispensável.

Porém, mais do que usar bastante protetor solar e evitar o sol nos horários de pico (ou seja, entre nove da manhã e três da tarde), você sabia que também precisa ter alguns cuidados para manter a sua saúde íntima no calor extremo? Pois é: com o calor e a umidade, em geral causada pelo suor, a nossa região íntima fica mais propícia a infecções, como a candidíase.

Por isso, para te ajudar a evitar coceiras inesperadas, cheiros muito fortes ou qualquer outro incômodo, a Oya separou 7 dicas indispensáveis para manter a sua saúde íntima no verão e no calor intenso. Vamos juntas?

1. Beba muita água

Esta é uma dica muito básica, mas que não deixa de ser importante. Nosso organismo é 70% formado por água, e, no verão extremo, tendemos a suar muito mais. Se não há reposição eficiente de líquidos, todo o nosso corpo sofre, e isso não exclui a nossa região íntima.

Menos ingestão de água equivale a menos idas ao banheiro para fazer xixi, o que significa que a limpeza da via urinária é menos frequente, favorecendo a colonização de bactérias que normalmente não existem nessa região. Algumas dessas bactérias podem causar infecções urinárias e cistites. Ou seja: quanto mais água você bebe, menor a chance de sofrer com doenças na região íntima

Para te ajudar a criar esse hábito, que tal investir em uma garrafinha? Assim, você pode andar com ela para todos os cantos, e não precisa esperar bater aquela sede desesperadora antes de beber água. E lembre-se: se pintar aquela dor ao urinar, coceira ou um cheiro mais forte, fale com uma ginecologista!

2. Nada de roupas apertadas

Nossa região íntima é cheia de microrganismos com funções importantes, como a prevenção de infecções e a regulação do nosso pH. No entanto, quando em excesso, eles podem causar problemas bastante incômodos, como a candidíase ou a vaginose bacteriana.

Infelizmente, quanto mais quente e úmido, maiores as chances de esses microrganismos se multiplicarem mais do que deveriam. Roupas apertadas acabam favorecendo esse tipo de ambiente, especialmente nos dias mais quentes, e, por isso, é importante tentar apostar em tecidos mais respiráveis, como o algodão, e roupas mais folgadinhas.

E isso também vale para as nossas calcinhas, ok? Apostar em roupas íntimas de materiais naturais e respiráveis faz com que a gente tenha menos problemas com suor e calor excessivos, além de diminuir as chances de infecção.

3. Durma sem calcinha

Se você ainda não tem o hábito de dormir sem calcinha, o verão é o melhor momento para adotá-lo. Não só pode ser mais confortável dormir sem nada te apertando, como também é o momento ideal para deixar a sua região íntima respirar bastante, principalmente se você passou o dia usando uma roupa mais apertada.

Para quem não fica muito à vontade com a ideia de dormir sem nada, uma boa ideia é começar a apostar em pijamas mais largos, que também favorecem a respiração. Além disso, escolher tipos diferentes de calcinhas — como os shortinhos — pode ajudar, especialmente se eles não forem de materiais sintéticos.

4. Cuidado com o atrito

Para algumas mulheres, o calor intenso também é sinônimo de assaduras. E, de fato, algumas partes do nosso corpo — como as coxas, os seios e as axilas — estão mais propensas a irritações, graças ao atrito e ao suor. 

Para evitar esse tipo de problema, você pode, além de usar roupas mais larguinhas, apostar em cremes e pomadas que previnem inflamações. Mas atenção! Nada de passá-los direto na sua região íntima, ok? Além de desequilibrar o pH, você pode acabar com infecções sérias.

Caso você tenha assaduras mesmo com esse cuidado, uma dica é fazer compressas frias nas áreas afetadas para aliviar o desconforto. Em caso de febre ou vermelhidão que não vai embora depois de alguns dias, porém, o ideal é buscar ajuda médica.

5. Nada de ficar com a roupa de banho molhada

Lembre-se: calor e umidade criam o ambiente perfeito para a proliferação de bactérias indesejadas. Por isso, depois de sair da praia ou da piscina, não fique com o biquíni molhado (ou mesmo úmido!) por muitas horas.

A gente sabe que o desejo de dar aquela “esticadinha” do clube ou da praia para um restaurante ou um passeio é difícil de resistir. Mas carregar uma calcinha na bolsa já é o suficiente para evitar perrengues futuros, e também garante que você vai ficar beeeem mais confortável.

6. Abandone os “protetores” diários

No verão, o período menstrual pode ser ainda mais incômodo, em especial se você é adepta dos absorventes descartáveis, que naturalmente deixam a região mais abafada — daí a importância de escolher o absorvente certo para você, o que pode variar de acordo com o período do ano. No entanto, uma vez fora da fase menstrual, você não precisa usar aqueles “protetores” diários, seja no verão ou em qualquer outro momento

Além de abafar ainda mais a sua região íntima, eles não oferecem nenhum tipo de vantagem no dia a dia. Pelo contrário: eles favorecem o aparecimento de infecções como a candidíase e a vaginose bacteriana ao não deixar sua vulva respirar.

Pode parecer “mais higiênico” apostar nesse tipo de absorvente diário porque ele evita o suor e não deixa manchas na calcinha, mas isso está muito mais ligado aos tabus em relação ao corpo feminino do que a uma proteção verdadeira. As secreções que liberamos são uma forma de indicar se estamos saudáveis ou não, são naturais e não devem ser motivo de vergonha. “Mascará-las” só impede que a gente perceba sinais importantes. Portanto, é hora de abandonar esse hábito e deixar a sua vagina respirar.

7. Duchas, desodorantes ou perfumes vaginais estão proibidos

Esta dica não vale apenas para o verão, mas é importante ressaltá-la principalmente durante essa época. Somos levadas a acreditar que o suor e os cheiros da nossa região íntima devem ser evitados a todo custo, e as duchas, desodorantes e perfumes são vendidos como uma solução “milagrosa” para nos deixar sempre “limpas” — mas a verdade é beeem diferente disso.

Primeiro porque cheiros e secreções são normais, e um sinal de que o nosso corpo está funcionando como deveria. Além disso, quando um corrimento aparece, a gente sabe que é hora de buscar ajuda profissional e agendar uma consulta com a ginecologista. 

Mas o mais importante é que esses produtos íntimos podem ter o efeito inverso do prometido: além de desregular o nosso pH, eles podem nos tornar mais propícias a sofrer com infecções, o que inclui mau cheiro, coceira e vermelhidão. Por isso, o ideal é passar bem longe desse tipo de “solução”. 

Para higienizar e refrescar a sua vulva, tudo o que você precisa é de bastante água e um sabão neutro. E lembre-se: a higienização deve ser apenas na parte externa, nunca na vagina.

8. Aposte em uma alimentação equilibrada

Por fim, mas não menos importante, manter uma alimentação equilibrada também é fundamental para garantir a sua saúde íntima no verão extremo. Ao apostar em frutas da estação e em uma dieta balanceada, você garante que o seu corpo estará recebendo todos os nutrientes de que precisa para continuar saudável.

Além disso, o consumo excessivo de açúcares e carboidratos (inclusive o álcool!) pode favorecer o aparecimento da candidíase, já que o açúcar é o principal “combustível” da candida. Ou seja: quanto mais diversa for a sua alimentação, melhor para a sua região íntima. Vale lembrar que uma vida saudável tem um impacto positivo na nossa fertilidade como um todo, tá?

Por que os cuidados com a região íntima são ainda mais importantes no verão?

Nós sabemos que cuidar da nossa região íntima é importante em todas as estações do ano. No entanto, no verão, quando o calor é bem mais intenso, eles se tornam absolutamente indispensáveis. E a razão para isso é simples: o verão reúne muuuuitos dos fatores que podem favorecer o aparecimento de infecções íntimas.

Seja pelo abafamento mais recorrente da região íntima, seja graças ao suor, seja porque estamos tendo mais contato com a praia e a piscina, seja porque ficamos mais conscientes de cheiros e secreções… Não importa: são vários os motivos que podem nos levar a abusar de protetores diários, duchas íntimas, desodorantes vaginais e roupas apertadas ou úmidas. E tudo isso significa que a nossa saúde vaginal fica “em risco”, já que nossa vulva não está respirando tanto quanto precisa, ou está entrando em contato com substâncias que podem trazer algum prejuízo.

Por isso, lembre-se: é fundamental cuidar bem da sua saúde íntima em todos os momentos. Mas, no verão, esses cuidados devem ser redobrados. E, caso você perceba alguma coisa fora do comum, deve imediatamente agendar uma consulta com ginecologista.

E agora que você já sabe quais cuidados íntimos adotar no calor intenso, não deixe de conhecer os principais sintomas da candidíase. Assim, você já fica familiarizada com os alertas vermelhos!

ESCRITO POR

Dra. Juliana Sperandio

REVISADO POR

Dra. Juliana Sperandio

A Dra. Juliana Sperandio é a líder de cirurgias da Oya Care e especialista em endometriose, miomas, pólipos e cirurgias ginecológicas minimamente invasivas.

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Desvendando os B.Os da Vulva

Toda pessoa do sexo feminino já passou por alguns BOs da vulva, mas ainda sente vergonha de falar sobre o assunto.

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais