Ano novo, novos hábitos. Será?

Conforme amadurecemos e evoluímos em nossa jovem vida adulta, vamos entendendo qual o tipo de rotina faz sentido para o nosso estilo de vida, quais práticas contribuem para nosso bem estar e quais hábitos nos fazem bem e gostamos de repetir. 

Eu refleti sobre os hábitos que pratiquei em 2022, os que me ajudaram a viver de forma consistente, feliz e saudável e, portanto, pretendo manter em meu dia a dia nesse ano que começa. Mas, para agraciar o lado da minha personalidade que é ávido por novidades, decidi fazer uma leve reciclagem deles: a ideia é manter o hábito em si, mas modificar algum aspecto dele, dando uma carinha nova ao costume que ganhou espaço cativo no meu estilo de vida.

O primeiro exemplo é a leitura: uma atividade de prazer e relaxamento que pratico diariamente. Depois de anos consumindo os mesmos gêneros literários (em geral romances e thrillers), percebi que tinha muita vontade de ler não-ficção e assuntos mais profundos, como por exemplo comportamento, psicologia, consumo, feminismo, entre outros. 

Contudo, das vezes em que tentei me aprofundar nesses gêneros anteriormente, senti que eles eram um pouco densos pra mim, que estava acostumada a devorar narrativas instigantes que prendiam o kindle na minha mão. Para reciclar esse hábito e levá-lo para 2023, pretendo comprar esse estilo de livro em papel, para poder grifar partes importantes do texto, usar marcadores para encontrar mais facilmente passagens que quero reler, e dobrar as orelhinhas das páginas que trouxeram reflexões importantes. Assim, espero conseguir mergulhar em pautas mais profundas de maneira assertiva e interessante, e de quebra os livros ainda ficam personalizados com o meu estilo.

Outro hábito que ganhará aspectos novos após uma reciclagem é o de fazer exercícios físicos. Já faz um bom tempo que pratico atividade física religiosamente, mas demorei aaaaaanos para entender que eu odiava fazer musculação “padrão” – aquele bom e velho puxar ferro na academia. Eu ia arrastada, sem vontade nenhuma. Foi só quando eu encontrei uma alternativa para o treino de fortalecimento (te amo, Pilates), que eu realmente comecei a curtir essa modalidade – super necessária – de treino. 

Depois dessa experiência positiva, pretendo aplicar essa reciclagem nos outros tipos de exercício que eu faço durante a semana: será que a corrida realmente é o melhor cardio pra mim? E se eu tentar substituí-la pelo spinning, por exemplo? Será que terei mais prazer na atividade e voltarei pra casa ainda mais endorfinada? Vou colocar a queima calórica à prova e volto em breve com opiniões.

O terceiro hábito (e pra mim, o mais desafiador de ser mantido) é a alimentação saudável. Eu, viciada em batata frita e emocionalmente dependente de chocolate, tenho muita dificuldade em manter uma consistência na alimentação. Além disso, um ponto em particular pesa muito: eu não sabia cozinhar refeições que fossem saudáveis E gostosas. Então, quando comia em casa, de duas, uma: ou eu preparava algo saudável, mas totalmente sem sabor e sem graça; ou dependia de saladas ou bowls mirabolantes de restaurantes de aplicativos – e no fim do mês via o peso financeiro que elas traziam consigo.  

Então minha maneira de reciclar esse hábito tem sido assistir vídeos de receitas no TikTok – sim, as redes sociais podem ser muito benéficas quando bem utilizadas – para conferir dicas de preparação de legumes e verduras, os melhores temperos para dar um tchan na receita, truques de molhos para salada, e por aí vai. Assim, tenho conseguido deixar a comidinha caseira saudável muito mais saborosa e interessante. 

O que eu acho mais válido dessa ideia de reciclar hábitos é que nada está engessado: qualquer prática pode ser ajustada a qualquer momento para se adaptar à rotina, realidade, preferências e estilo de cada um. Nenhum hábito que contribui para seu bem estar deve ser abandonado se em algum momento ele deixar de encaixar perfeitamente em seu momento de vida. 

O mais importante é termos a mente aberta para experimentar novas ideias, dar espaço a elas em nossa rotina e entender o que contribui para nossa felicidade!

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Pressão para ter filhos

Como lidar com a pressão para ter filhos

Dra. Natalia Ramos, especialista em fertilidade feminina, compartilha sua história e fala sobre a pressão para ter filhos, carreira e o momento certo de ser mãe.

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais