Dor na relação sexual: é normal? O que pode ser?

A gente nem precisa pensar antes de responder: não, sentir dor na relação sexual não é normal. Se você está passando por qualquer desconforto durante o sexo, exames de rotina ou na masturbação, é hora de parar e investigar o que pode estar acontecendo.

A saúde sexual foi considerada como um dos pilares do conceito de saúde pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Isso significa que ter uma vida sexual prazerosa e sem tabus é fundamental na garantia de uma saúde integral. Mas nós, mulheres, às vezes acreditamos que sentir um pouquinho de incômodo na hora H é “normal” e “questão de prática”.

A gente da Oya tá aqui pra te dizer que não, não é só suportar até se acostumar. A dor na relação pode até não ser causada por nenhuma doença, mas isso não significa que ela deve ser deixada de lado. Quer saber mais? Vem que a gente te explica!

O que causa a dor na relação sexual?

Quando falamos sobre sexualidade feminina, são vários os fatores que podem impactar diretamente na satisfação sexual e na libido, gerando dor na relação. A Oya separou alguns dos principais, olha só:

Pode ser uma questão física…

Se você já recorreu ao Dr. Google pra tentar entender por que está sentindo dor no sexo, provavelmente já recebeu uma série de diagnósticos. Apesar de esse ser o caminho menos indicado para lidar com uma questão íntima, a verdade é que a dor na relação pode, sim, ser causada por alguma questão física. 

Alguns exemplos são:

  • Vaginismo: o vaginismo é um tipo de disfunção sexual feminina que causa dores fortes durante a penetração ou mesmo durante exames de rotina. Segundo estudos, ela acomete até 42% das mulheres com alguma disfunção e impacta negativamente no seu cotidiano.
  • Endometriose: a endometriose é uma questão de saúde multifatorial (ou seja, causada por diferentes motivos e com diversas maneiras de progressão) e que causa intensas dores em toda a região pélvica, com sintomas que podem ir desde cólicas muito fortes até a dor na relação sexual.
  • Vulvodínia: a vulvodínia é uma doença que gera ardência e dor na região da vulva, e que às vezes se estende até o clitóris. Esse incômodo pode surgir de repente, mas impacta o cotidiano das mulheres graças ao desconforto.

Vale lembrar que, mesmo em relações sexuais que não envolvem penetração, sentir dores ou incômodos não é normal! Assim, ainda que a sua transa seja vulva com vulva, procure ajuda médica ao sinal de algum desconforto.

…Uma questão psicológica…

Principalmente quando falamos sobre sexualidade feminina, as questões psicológicas não podem ser deixadas de lado. De fato, alguns estudos mostram que elas têm um importante impacto na satisfação sexual, o que inclui, é claro, a presença de dores durante a relação. 

Ou seja: se a sua transa está causando incômodo e você não tem nenhuma questão física, será que não é uma questão emocional? Olha só algumas coisas que podem interferir:

  • Ansiedade: a ansiedade é uma questão psicológica que afeta cerca de 60% da população brasileira e atinge mais as mulheres que os homens. A pressão pra dar conta de tudo pode impactar negativamente os nossos momentos de prazer, e a tensão acumulada pode causar dificuldade de lubrificação e dor na relação sexual.  
  • Depressão: a depressão em mulheres também impacta a saúde física e, é claro, sexual. Afinal, diante de uma série de fatores sociais que influenciam a autoimagem e a confiança femininas, fica mais difícil relaxar e aproveitar um momento íntimo, né?
  • Fatores sociais e relacionais: ser a principal responsável pelas relações (com parceiros ou familiares) e pelas tarefas domésticas, além de construir uma vida profissional, também são fatores que impactam diretamente no desejo sexual. Quando a nossa cabeça está muito cheia, é normal sentir mais tensão e menos desejo, o que pode se transformar em dor na relação sexual.

Se você acha que esses incômodos durante o sexo podem ser causados por fatores emocionais ou psicológicos, não hesite em procurar ajuda profissional. Uma psicóloga ou psicólogo pode te ajudar a encontrar os mecanismos certos pra lidar com essas questões.

Ah! O uso de medicamentos, como os antidepressivos, também pode impactar negativamente o tesão. Por isso, conversar com o/a psiquiatra e encontrar alternativas também pode ser um caminho pra diminuir o desconforto na hora do sexo. 

…Ou uma questão hormonal

A gente já sabe, mas vale a pena repetir: os nossos hormônios influenciam demais a nossa vida. E é claro que eles impactam na presença ou ausência de dor na relação sexual.

Algumas doenças hormonais, como o hipertireoidismo, ou fases em que os nossos níveis de hormônios estão desequilibrados, como quadros de menopausa, podem impactar o desejo sexual e a lubrificação, o que pode gerar dores e incômodos durante o sexo.  

Além disso, você sabia que o seu anticoncepcional também pode influenciar na sua vida sexual? Afinal, os contraceptivos hormonais afetam a libido feminina e, se a lubrificação não está acontecendo como deveria, pode ser que você experimente dores na relação sexual.

Em todos esses casos, o ideal é buscar a ajuda de um profissional de saúde. Com esse apoio médico, você pode identificar se a dor na relação é mesmo causada por uma questão hormonal e, em caso positivo, como ela pode ser resolvida.

O que fazer para não sentir dor na relação sexual?

Se você já sabe que a sua dor na relação sexual não está ligada a nenhuma doença ginecológica, pode ser o caso de tentar recuperar o tesão perdido. Ou seja: é hora de encontrar alternativas que te ajudem a relaxar e aproveitar um pouco mais o momento com outra pessoa.

Pra isso, a gente recomenda escolher o vibrador perfeito, apostar nas preliminares, investir em um lubrificante e ir descobrindo o que você gosta de verdade ou não. Se tocar, olhar pro seu corpo e entender, com calma e paciência, o que pode funcionar pra te deixar no mood certo são formas simples de não sentir dor na relação por estar mais confortável e mais lubrificada.

Agora, se você desconfia que a sua dor pode estar ligada a uma questão de saúde, seja ela mental ou física, o papo é outro. Não adianta insistir em relaxar: às vezes, o nosso corpo precisa de um cuidado maior e mais especializado. Por isso, a melhor alternativa é, mesmo, falar com um profissional de saúde.

Pra isso, você pode contar com a Oya. No nosso SOS Ginecologista, a gente te coloca em contato com uma equipe preparada pra te ajudar a entender o que pode estar causando a dor na relação sexual e como você pode resolver essa questão. Tudo isso do conforto da sua casa, sem julgamentos e sem pressão.

As consultas do SOS Ginecologista podem ser até 100% reembolsadas pelo seu plano de saúde e são marcadas em até 24h, o que é ideal pra quem precisa de um socorro mais urgente. Chega de adiar o seu prazer! Vamos juntas?

ESCRITO POR

COM APOIO CIENTÍFICO DE

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Desvendando os B.Os da Vulva

Toda pessoa do sexo feminino já passou por alguns BOs da vulva, mas ainda sente vergonha de falar sobre o assunto.

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais