Chocolate é afrodisíaco? Entenda como ele afeta a sua fertilidade!

Você sabia que o cacau é parte da cultura latinoamericana há mais de três mil anos? Usado em diferentes rituais e cerimônias, ele passou a ser considerado um alimento divino sobretudo por algumas tribos guatemaltecas e pelo povo maia, frequentemente associado à fertilidade e à abundância.

De fato, o cacau — e, por consequência, o chocolate — tem uma forte relação com a nossa libido e a nossa fertilidade. Para entender mais sobre essa ligação, a Oya preparou um conteúdo completo sobre o assunto. Vamos juntas?

Antes, um pouquinho sobre a história do cacau

Como a gente mencionou, o cacau é um fruto cujos usos sociais (em rituais e cerimônias consideradas sagradas) datam de mais de três mil anos, quando a América Central e do Sul ainda não haviam sido colonizadas. Isso significa que os “poderes mágicos” do cacau fazem parte da nossa ancestralidade enquanto latinoamericanos, e ajudaram a construir inclusive algumas crenças que temos sobre fertilidade.

O cacau também era considerado um fruto sagrado graças à teobromina (nome que significa, literalmente, “alimento dos deuses”), substância presente no fruto e responsável por causar o relaxamento dos músculos e a expansão dos vasos sanguíneos. Hoje, já sabemos que esses efeitos ajudam inclusive no estímulo sexual — e pode ser daí que vem essa relação entre chocolate e libido.

Acredita-se, ainda, que as primeiras cerimônias de cacau surgiram como uma forma de contato com os nossos ancestrais. Já o mito da Deusa do Cacau conta que ela, Ixcacao, era a responsável pela agricultura farta e pelo nascimento de gêmeos, considerados sagrados. Ou seja: tudo bastante ligado à fertilidade como a gente entende hoje, né?

Independente de qual seja sua crença, o cacau (e o chocolate) é, objetivamente, um alimento poderoso na nossa dieta, e que pode, sim, estar relacionado à libido e à fertilidade. Não à toa, ele é considerado também um afrodisíaco poderoso. Mas, é claro, todo consumo deve ser feito com moderação.

Como assim, o chocolate é afrodisíaco?

É verdade! Quer dizer, mais ou menos. O chocolate é historicamente reconhecido como uma substância afrodisíaca e que, portanto, funciona como um estimulante sexual. No entanto, apesar de essa ser uma relação bastante explorada na nossa cultura, não são muitas as pesquisas sobre o assunto, e os resultados também podem parecer controversos.

Por exemplo: um estudo da Universidade da Califórnia mostrou que pessoas que consomem chocolate com maior frequência na semana acabam apresentando menos interesse em sexo. Por quê? Os pesquisadores têm uma sugestão interessante: parece que o chocolate substitui a necessidade de ter relações, graças à sensação de bem-estar que ele causa.

Por outro lado, outra pesquisa, do Journal of Sexual Medicine, observou que mulheres que comiam chocolate meio-amargo todos os dias tinham vidas sexuais mais ativas. Além disso, as participantes também apresentavam mais desejo sexual associado ao consumo do chocolate. 

Diante de resultados questionáveis e poucas evidências concretas, apenas uma coisa é certa: o chocolate tem uma série de vantagens para o nosso corpo, e a sensação de bem-estar é uma delas. Mas, se ele vai funcionar como uma forma de recuperar o tesão perdido, parece que depende do perfil de cada pessoa.

Como o chocolate pode afetar a libido?

Ficou interessada na possível relação entre chocolate e libido? A gente te explica melhor como as duas coisas podem estar relacionadas. Olha só: o cacau possui três substâncias que funcionam como canabinoides, ou seja, que regulam e equilibram várias funções biológicas, aumentando o bem-estar. 

Além disso, um dos principais componentes do chocolate é a teobromina, um princípio ativo do cacau. Ela tem efeito calmante, porque aumenta o fluxo de sangue e expande o calibre dos nossos vasos sanguíneos, o que gera uma sensação de alívio e relaxamento.

O chocolate também estimula a produção de serotonina, o que ajuda no aumento da circulação sanguínea na região genital. Isso é essencial para a estimulação sexual. É por isso, inclusive, que muita gente sente aquela vontade de comer um chocolatinho na TPM, fase do ciclo menstrual em que esses estimulantes estão em falta no organismo.

Mas nem todo tipo de chocolate tem o mesmo efeito, tá? O chocolate amargo é o que possui mais propriedades benéficas à saúde, já que tanto o chocolate ao leite quanto o chocolate branco contém uma grande quantidade de açúcar e gordura na sua composição. Além disso, o chocolate amargo possui uma maior porcentagem de cacau, o que faz com que seus efeitos na libido sejam maiores.

Então o chocolate interfere na fertilidade?

Pode ser que sim — mas infelizmente não de um jeito positivo. A verdade é que a principal vilã do chocolate é a cafeína, que está presente no cacau. 

Alguns estudos mostram que o consumo de cafeína acima da média recomendada (cerca de 200mg por dia) pode aumentar a dificuldade para engravidar, bem como o risco de aborto. Pode parecer difícil chegar lá com uma barra de chocolate, mas a verdade é que não é.

De acordo com o Portal da Nestlé:

Se você comer/beber…A quantidade média de cafeína é:E ela pode variar entre:
Uma xícara de café filtrado85mg60 – 120mg
Uma barra de 100g de chocolate ao leite20mg3,3 – 50mg
Uma barra de 100g de chocolate meio-amargo66,6mg16,6 – 116,6mg

Ou seja: com pouco mais de dois cafezinhos por dia você chega nas 200mg e, por isso, é necessário maneirar no consumo se você está pensando em engravidar em breve, ou se está vivendo uma gestação.

Além disso, o consumo exagerado de chocolate pode levar ao aumento do peso, além de causar um desequilíbrio nos níveis de açúcar do sangue. Ambas as coisas podem gerar problemas e alterações na ovulação, o que diminui as chances de engravidar.

Vale lembrar, ainda, que a cafeína pode gerar insônia, o que afeta a nossa produção de melatonina, hormônio do sono. Ela também tem um papel importante na nossa fertilidade — e na saúde de modo geral.

O que fazer para evitar os efeitos negativos do chocolate na fertilidade?

Se você está tentando engravidar, mas não tá rolando, vale a pena investigar se a nutrição não está desempenhando um papel relevante para essa dificuldade. Conversar com uma médica e rever o seu consumo de chocolate — e de outras substâncias — é o primeiro passo.

Também vale a pena conhecer a Descoberta da Fertilidade, da Oya Care. Nela, nós investigamos a sua fertilidade de forma integral, a partir da realização do exame AMH e de uma abordagem acolhedora. Dessa forma, você entende:

  • Como anda a sua reserva ovariana;
  • Quais as suas chances de entrar na menopausa antes do período considerado “normal”;
  • Até que idade é seguro planejar uma gravidez natural; e mais!

Para saber mais, você pode agendar uma consulta ou entrar em contato com a nossa equipe de cuidados. Vamos juntas?

ESCRITO POR

COM APOIO CIENTÍFICO DE

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais