Como engravidar mais rápido? Conheça 4 mitos e 4 verdades!

Se você tem vontade de ter filhos e está tentando engravidar nesse momento, é bem provável que já tenha mergulhado no universo de receitinhas caseiras e dicas infalíveis para descobrir como engravidar mais rápido. Mas será que tudo que é falado por aí funciona de verdade?

A gravidez é um processo complexo e que depende de muitos fatores. Por isso, acreditar cegamente em tudo o que a gente encontra por aí pode aumentar a frustração e a ansiedade quando os resultados não são muito positivos. Pensando nisso, a Oya separou os principais mitos e verdades sobre engravidar mais rápido, todos baseados na ciência. Confira!

Conheça os principais mitos e verdades sobre como engravidar

A decisão de ter filhos ou não é bastante complexa e cheia de nuances. E, ao optar pela gravidez, o processo não fica mais fácil: afinal, não é todo mundo que pode querer engravidar, e a ansiedade de passar por todas essas etapas — da concepção ao parto — pode ter impactos profundos na nossa saúde física e mental. 

A internet pode ser um espaço que amplia esse sentimento. Nos grupos de tentantes e nos blogs com dicas supostamente infalíveis, pode parecer que qualquer pequena ação tem um peso enorme nas nossas chances de sucesso. Mas a verdade é que cada corpo é único e, por isso, cada gravidez também será.

Para te ajudar a entender o que realmente impacta as suas chances de engravidar, a gente reuniu diferentes mitos e verdades sobre o processo. Com base na ciência, te explicamos como cada ação afeta (ou não!) a sua fertilidade. Vamos juntas?

É possível engravidar fora do período fértil

Mito! A gravidez só é possível quando a mulher passa pela fase do ciclo menstrual conhecida como ovulação, momento em que os óvulos são liberados dos ovários para o útero. 

Considerando um ciclo menstrual de 28 dias, a ovulação acontece no dia 14. Chamamos de “período fértil” os 3 dias antes e depois dessa data, ou seja, todo o período que vai do 11º ao 17º dia do ciclo. Essa é a janela que possibilita uma gravidez.

Vale lembrar, porém, que o espermatozoide pode sobreviver no útero por até cinco dias. Isso significa que qualquer relação desprotegida a partir do nono dia do ciclo já pode resultar em uma gravidez, tá?

Para quem tem o ciclo irregular, contabilizar essas janelas pode ser mais difícil, o que reforça a necessidade de ter um acompanhamento ginecológico. Outras dicas válidas são usar aplicativos de controle de ciclo, que ajudam a prever essa janela, o método da tabelinha ou apostar em testes de ovulação — aqueles de farmácia, sabe?

Alguns alimentos ajudam a engravidar mais rápido

Verdade! Mas isso não significa que a sua dieta vai determinar se você vai engravidar ou não.

O que acontece é que alguns alimentos possuem nutrientes que ajudam a preservar a fertilidade, ou seja, reduzem as chances de infertilidade feminina. Um estudo publicado na Fertility & Sterility identificou que mulheres que tomam multivitamínicos, por exemplo, têm um risco de infertilidade 41% menor. 

Mais do que apostar em suplementos, porém, o ideal é seguir uma dieta variada e bem balanceada. Para isso, você deve contar com o apoio de uma nutricionista. Alguns dos nutrientes que ajudam na fertilidade são:

  • Zinco, presente em carnes vermelhas, frutos do mar e cereais fortificados;
  • Folato, presente nas folhas verdes, frutas, leguminosas, ovo e carne;
  • Ferro, presente na carne vermelha, feijão, lentilha, espinafre e beterraba;
  • Vitamina C, presente em frutas cítricas, brócolis e pimentão;
  • Vitamina E, presente em nozes, amendoim, sementes de girassol;
  • Vitamina B6, presente no grão de bico, batatas, salmão e banana.

Engravidar depois de um aborto é mais difícil

Mito! O aborto é uma das complicações mais comuns durante a gravidez, acontecendo em cerca de 20% das gestaões naturais. Mas isso não faz com que passar por esse processo seja mais fácil. Engravidar depois de uma perda gestacional gera impactos profundos na nossa saúde emocional, mas, fisiologicamente falando, não costuma ser necessariamente mais difícil chegar lá.

Nos casos em que a perda acontece até a 20ª semana, a recomendação é esperar pelo menos 2 semanas para voltar a ter relações sexuais com penetração; nos casos em que acontece depois da 20ª semana, é importante tentar diagnosticar a causa do falecimento fetal, para encontrar possíveis condições clínicas que estejam atrapalhando a gravidez ou sintomas de infertilidade.

Os abortos de repetição atingem menos de 1% das mulheres, mas, quando ele acontece depois da 20ª semana, os riscos de abortos futuros é um pouco maior. Ou seja: é preciso cuidado e acompanhamento médico se a sua gestação foi interrompida, mas, em geral, você pode tentar de novo sem nenhum receio.

O estilo de vida afeta as chances de engravidar

Verdade! Para quem deseja engravidar, uma dica preciosa é adotar um estilo de vida mais saudável. É importante, por exemplo, reduzir o consumo de álcool, parar de usar substâncias psicoativas e abandonar de vez o hábito de fumar.

Um estudo publicado na revista médica Human Reproduction mostrou que mulheres que consomem uma grande quantidade de álcool no período de ovulação ou pós-ovulatório têm as chances de engravidar reduzidas de 25% para 11%. 

O mesmo vale para o cigarro e outras drogas: pesquisas mostram que, para mulheres que fumam até 20 cigarros por dia, a fertilidade é reduzida em até 25%. Quando o número é maior, o impacto pode ser de 43%. Isso porque o cigarro causa mudanças nos níveis hormonais e diminui a libido, além de aumentar os riscos de aborto. 

O sedentarismo e as variações muito grandes de peso (magreza extrema ou obesidade) também contribuem para a infertilidade feminina e diminuem as chances de uma gravidez natural. Daí a importância da prática regular de exercícios.

A posição importa

Mito! Por um lado, é verdade que cada corpo é único e, por isso, pessoas diferentes têm úteros diferentes; por outro lado, não há dados que comprovam que uma ou outra posição sexual aumenta as chances de engravidar. 

Você já deve ter visto por aí que pessoas com o útero em anteversoflexão (isto é, inclinado para frente, sobre a bexiga) têm mais chances de engravidar quando ficam “por baixo” na posição sexual. Para quem tem o útero retrovertido (ou seja, inclinado para trás, sobre a coluna), porém, a probabilidade é maior quando elas ficam sobre as mãos e joelhos. 

Essa suposta “facilidade” se deve ao fato de que, nessas posições, a ejaculação pode acontecer mais perto do útero, o que, em teoria, aumentaria as chances de engravidar. Porém, vale repetir: não há dados que comprovem que isso funciona, até porque a gravidez é um processo complexo, que depende de muitos fatores. 

Assim, que tal experimentar novas posições como uma maneira de recuperar o tesão perdido e tornar a relação mais prazerosa?

Aumentar o número de relações também aumenta as chances de engravidar

Mito! Pode parecer uma relação óbvia: quanto mais relações sexuais desprotegidas, maior as chances de uma gravidez. Mas o corpo não funciona assim

Primeiro porque a gravidez tem uma janela de tempo para acontecer — o chamado período fértil. Depois, porque uma grande quantidade de ejaculações pode prejudicar a qualidade do espermatozoide liberado.

Por outro lado, ficar muito tempo sem transar também pode ser prejudicial para a qualidade do espermatozoide. Alguns estudos apontam que a abstinência sexual faz com que espermatozoides pouco saudáveis fiquem acumulados, ao passo em que uma ejaculação em ritmo mais frequente promove a renovação dos gametas, aumentando a chance de eles serem mais potentes.

O ideal, portanto, é ter relações em dias intercalados e durante o período fértil. Você pode, por exemplo, marcar de transar com o seu parceiro, para garantir que a chama continua acesa, mesmo quando você não está ovulando.

Engravidar depois dos 40 anos é mais difícil

Verdade. Mas isso não significa que seja impossível, tá? O ponto é que, depois dos 35 anos, a nossa reserva ovariana diminui drasticamente, o que dificulta uma gravidez natural. 

Ainda assim, mulheres que desejam engravidar aos 40 anos podem contar com algumas opções:

  • Para quem já tem 40 anos ou mais, os tratamentos de reprodução assistida podem ser uma opção interessante. Existem diferentes tipos de tratamento e essa é uma maneira de investigar a sua fertilidade e encontrar a opção ideal pro seu estilo de vida.
  • Para quem tem menos de 40 anos, mas quer engravidar no futuro, a melhor opção é o congelamento de óvulos, que ajuda a preservar a qualidade e saúde dos óvulos e aumenta as chances de sucesso.

Para quem deseja engravidar do segundo filho, planejar a gravidez e contar com a reprodução assistida também pode ajudar a tornar o processo mais fácil. 

A verdade é que não dá pra definir, de forma generalizada, até que idade engravidar. Mas você pode se preparar para os diferentes cenários e conhecer melhor as suas opções.

Fazer check-ups rotineiramente ajuda a engravidar

Verdade! Os check-ups ginecológicos fazem com que seja possível acompanhar as mudanças no nosso corpo e identificar qualquer problema ginecológico em seus estágios iniciais. 

Além disso, para mulheres que já lidam com doenças ginecológicas, o check-up, se feito com regularidade, ajuda a administrar os seus efeitos negativos e a encontrar soluções mais eficazes para melhorar a qualidade de vida. Assim, torna-se possível engravidar com SOP e engravidar com endometriose, por exemplo.

Lembre-se de que os exames de rotina devem ser feitos anualmente, salvo em casos específicos. 

Como saber se vou ter dificuldade para engravidar?

A melhor forma de descobrir se você pode enfrentar problemas na hora de engravidar é conhecendo bem o seu corpo e a sua fertilidade. Não existem fórmulas prontas ou regras infalíveis: como a gente não cansa de repetir, cada corpo é único, e fatores como estilo de vida e rotina também afetam a nossa fertilidade.

Por isso, a Descoberta da Fertilidade é o serviço ideal. Nela, você passa por uma consulta com uma médica especializada em fertilidade, na qual pode tirar todas as suas dúvidas. Você também realiza o exame AMH, que permite visualizar melhor como anda a sua reserva ovariana.

Na Descoberta da Fertilidade, você entende:

  • Se vai chegar na menopausa antes da média de idade brasileira;
  • Até que idade é seguro planejar uma gravidez natural;
  • Se faz sentido pensar em congelamento de óvulos;
  • Se você precisa passar por algum tratamento de reprodução assistida.

Tudo isso ao lado de uma equipe acolhedora, sem julgamentos e sem respostas prontas. Na Oya, você tem mais autonomia e informação para tomar decisões sobre o seu corpo e a sua gravidez, agora ou no futuro. Vamos juntas!

ESCRITO POR

COM APOIO CIENTÍFICO DE

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

a vida é fertil

A natureza da vida fértil!

Inspiradas por tudo que deu forma e sentido à nossa história como clínica que apoia fertilidade, natureza e potência feminina, convidamos amigas e parceiras que fizeram parte dessa caminhada para o

como me descobri no meu corpo

Como me descobri no meu corpo

Um convite a autodescoberta feminina e todas as suas camadas: da percepção do corpo, da mente, da sexualidade e da fertilidade

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais