Quem tem endometriose precisa congelar óvulos?

A endometriose é uma das principais doenças ginecológicas no Brasil e no mundo. Apesar da dificuldade de diagnóstico, alguns dos seus efeitos são muito conhecidos — dentre eles, a infertilidade. Aproximadamente 40 % das mulheres com endometriose podem ter infertilidade de maneira associada. 

Mesmo assim, engravidar com endometriose não é impossível, mesmo nos casos em que a doença esteja comprometendo o aparelho reprodutivo. Na verdade, nesses casos, existe uma maneira de tornar a gravidez da paciente com endometriose ainda mais simples e segura: o congelamento de óvulos. Cada corpo é único e por isso a fertilidade deve ser um tema presente nas consultas de acompanhamento e cuidado para endometriose.

Para te explicar melhor qual é a relação entre o congelamento de óvulos e a endometriose, a Oya Care preparou este conteúdo completo, que explica quais são os impactos da endometriose na fertilidade e por que o congelamento pode ser uma boa opção para essas pacientes. Quer saber mais? É só continuar lendo!

Quais os impactos da endometriose na fertilidade?

A endometriose afeta entre 10% e 15% das pessoas do sexo feminino em idade reprodutiva e é uma das principais causas de infertilidade feminina, responsável por cerca de 40 a 50% dos casos. 

Os efeitos da endometriose na fertilidade começam na menstruação: o crescimento de células de tecido semelhante ao endometrial fora do útero. Como consequência, além da dor, pode haver o comprometimento de diversos órgãos da região pélvica e abdominal — incluindo o próprio útero, o que pode impactar na anatomia pélvica e dificultar a gestação.

Por isso, a endometriose pode representar uma maior dificuldade para engravidar. Assim, para quem já sabe que quer ter filhos, agora ou no futuro, é fundamental considerar outras opções de tratamento para a fertilidade. 

Quem tem endometriose pode engravidar?

Sim! Apesar de a endometriose afetar a fertilidade, é possível engravidar com endometriose. No entanto, para isso, é preciso contar com uma médica especializada no assunto, que vai conseguir investigar com mais precisão o seu tipo de endometriose e quais os possíveis efeitos dele na sua vida fértil.

Em alguns casos, as pacientes com endometriose precisam passar por um tratamento antes de engravidar naturalmente. Ele pode variar de acordo com cada quadro, mas costuma incluir uma cirurgia para remoção dos focos de endometriose. Quando feita por uma médica especialista em cirurgias ginecológicas e bem sucedida, essa cirurgia faz com que as chances de uma recidiva da doença sejam baixas, melhora a qualidade de vida da paciente e também seu prognóstico reprodutivo.

Cerca de 1 ou 2 anos após a cirurgia, as chances de gravidez aumentam muito. Esse período é conhecido como a “janela de oportunidade” para engravidar com a endometriose. 

Para quem tem quadros de endometriose mais profunda, vale a pena investir em um acompanhamento médico individualizado, que leve em consideração opções de reprodução assistida quando houver indicação para tal. Desse modo, você garante que está tomando todas as precauções para conseguir engravidar com segurança, quando desejar.

Por que congelar óvulos em casos de endometriose?

Apesar das possibilidades de tratamento, os efeitos da endometriose na fertilidade podem ser bastante negativos. Diante desse cenário, para ampliar as chances de uma pessoa diagnosticada com a doença engravidar, o congelamento de óvulos se torna uma opção segura e viável para diversas pacientes.

Ao contrário do que muita gente imagina, o congelamento é uma medida preventiva de fertilidade. Isso significa que o objetivo desse procedimento é aumentar a vida útil dos nossos óvulos, impedindo que eles envelheçam com o passar dos anos, como acontece naturalmente. 

Algumas intervenções cirúrgicas para o tratamento da endometriose, mesmo quando realizadas de maneira adequada, podem comprometer a reserva ovariana. Nesse contexto, o congelamento de óvulos pode ser um aliado porque retira alguns dos óvulos saudáveis e com qualidade dos nossos ovários e os deixa guardadinhos e preservados, até o momento em que eles serão usados.

Isso não significa que ficamos impedidas de engravidar naturalmente — muito pelo contrário. O congelamento é responsável por aumentar as nossas chances de sucesso: se a gravidez natural não funcionar, então teremos um “plano b” ao qual recorrer, com autonomia e segurança. 

Como funciona o congelamento de óvulos em caso de endometriose?

O congelamento de óvulos para pessoas com endometriose não tem nada de diferente do procedimento tradicional. Ou seja: a pessoa diagnosticada com a doença passa pelas mesmas etapas que uma pessoa sem o diagnóstico de endometriose. 

O passo a passo é o seguinte:

  1. Estimulação ovariana: nesta fase, a pessoa é submetida a alguns medicamentos com o objetivo de estimular a ovulação. Se, em um ciclo menstrual normal, liberamos apenas um óvulo, essa etapa é responsável pela maturação de mais folículos, aumentando esse número;
  2. Coleta dos óvulos maduros: na segunda fase do processo, os óvulos maduros são aspirados pela médica especialista. É necessário usar uma sedação leve para esta etapa, mas o procedimento é simples;
  3. Criopreservação: por fim, é hora de congelar os óvulos! Depois da avaliação de um embriologista, os óvulos com potencial de serem fertilizados no futuro são congelados e armazenados com toda a segurança.

Em alguns casos específicos, a recomendação para o congelamento de óvulos deve ser feita de maneira mais enfática, principalmente em pacientes com endometriomas ovarianos bilaterais, pacientes com 35 anos ou mais e pacientes que já foram submetidas a cirurgias ovarianas. 

Depois do congelamento de óvulos, a paciente pode voltar para a sua rotina normal. É apenas no momento em que decide engravidar que ela precisará contar com o apoio da clínica e de uma médica especialista para realizar a fertilização in vitro.

As chances de engravidar com óvulos congelados também são positivas, principalmente quando o procedimento é feito em mulheres com menos de 35 anos. Ou seja: para pacientes com endometriose, essa medida pode garantir o sucesso de uma gravidez que, sem ela, poderia ser muuuito mais difícil.

Ficou interessada? Então aproveite para entender direitinho quanto custa o congelamento de óvulos e começar a se preparar para esse procedimento! Vamos juntas?

ESCRITO POR

Dra. Juliana Sperandio

REVISADO POR

Dra. Juliana Sperandio

A Dra. Juliana Sperandio é a líder de cirurgias da Oya Care e especialista em endometriose, miomas, pólipos e cirurgias ginecológicas minimamente invasivas.

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais