Assine a Newsletter para receber conteúdos exclusivos

Congelamento de óvulos: como funciona? Como se preparar?

Dados do IBGE apontam que a taxa de natalidade vem caindo no Brasil, e que cada vez mais pessoas optam pela maternidade “tardia” — isto é, depois dos 35 anos. E, apesar de fatores sociais e econômicos terem o seu papel nessa decisão, também é uma verdade incontestável que, quanto mais velhas ficamos, menores são as nossas chances de engravidar naturalmente. Daí a importância do congelamento de óvulos.

Se você nunca ouviu falar nessa técnica, ou não sabe muito bem o que significa congelar óvulos, não precisa se preocupar: a Oya Care montou um conteúdo completo para te ajudar a entrar nesse mundo. Vamos juntas? 

O que é o congelamento de óvulos?

O congelamento de óvulos, também conhecido como criopreservação, é um procedimento médico que tem como principal objetivo a preservação da fertilidade. A partir dele, é possível coletar e preservar óvulos saudáveis que, no futuro, poderão se desenvolver, o que aumenta a janela fértil de uma pessoa que deseja ter filhos biológicos, mas não quer (ou não pode) assumir essa responsabilidade agora. 

Ou seja: ele é uma medida preventiva que oferece às pessoas com ovários uma maior chance de engravidar com sucesso quando se sentirem prontas para isso.

A importância dessa técnica está no fato de que a nossa reserva ovariana não é infinita: já nascemos com todos os óvulos que vamos liberar ao longo da nossa vida fértil, e, conforme os anos passam, eles se tornam mais e mais escassos. Além disso, sem um acompanhamento prévio da nossa fertilidade, é impossível determinar se as nossas chances de engravidar são altas ou baixas. Por isso, tomar a decisão de adiar a maternidade pode significar, para algumas pessoas, começar a lidar com sintomas de infertilidade no futuro.

O congelamento de óvulos é uma maneira de contornar essa situação e ter todas as informações necessárias para tomar uma decisão que faça sentido para você. Além de aumentar as chances de engravidar lá na frente, ele também possibilita um planejamento de vida fértil que te ajuda a organizar a sua vida sem medo de perder oportunidades.

Qual o passo a passo do congelamento de óvulos?

O congelamento é um processo longo, que tem início muito antes de chegarmos à clínica onde ele acontecerá. Para que você saiba exatamente o que vai enfrentar, nós preparamos um passo a passo do congelamento. Olha só:

Primeira etapa: Optar pelo congelamento

O primeiro passo para congelar óvulos é decidir se este é o momento certo para dar início ao processo. São muitos os motivos que levam uma pessoa ao congelamento: a idade, o desejo de ter filhos no futuro, a necessidade de passar por procedimentos cirúrgicos, um tratamento contra o câncer… Enfim.

Independentemente da razão pela qual você começou a considerar o congelamento de óvulos, contudo, é fundamental contar com uma equipe médica que vai te ajudar a entender como está a sua reserva ovariana e se o congelamento já deve ser um objetivo. Em alguns casos, a resposta para a pergunta “Devo congelar meus óvulos?” será sim; em outros, ele pode ser indicado para dali algum tempo. 

Nesta etapa, é muito comum que você passe por alguns exames, como o exame AMH, que, apesar de não conseguir dizer exatamente quantos óvulos ainda temos, é o exame que chega mais perto disso. Com base nesses resultados, você e sua médica têm informações concretas e podem, assim, planejar decisões que fazem sentido para os seus objetivos. 

Segunda etapa: Preparo financeiro

Não adianta negar: mesmo que não seja tão inacessível quanto já foi, o congelamento de óvulos ainda é, para a maioria das pessoas, um investimento alto. Por isso mesmo, assim como planejamos a compra de um apartamento ou de um carro, vale a pena planejar o seu sonho de ser mãe e se organizar financeiramente.

A gente te ajuda a fazer essa conta: o preço de um congelamento de óvulos, na Oya Care, é de R$23.500,00, e já inclui todas as despesas do procedimento: dos medicamentos à criopreservação. 

Além disso, depois de congelar os óvulos, ainda é necessário arcar com a manutenção dos óvulos congelados. Esse valor costuma ficar na casa dos R$1.200,00 por ano, ou seja, cerca de R$100,00 por mês. 

Por isso, apesar de oferecermos condições especiais de pagamento, é importante se preparar direitinho antes de tomar essa decisão.

Terceira etapa: Encontrar a clínica ideal

O congelamento de óvulos é mais do que um simples procedimento médico. Ao tomarmos essa decisão, também precisamos lidar com vários sentimentos: medo, confusão, insegurança, ansiedade etc. Por isso, encontrar uma clínica que nos passe segurança e acolhimento é uma etapa fundamental.

Antes de escolher a sua clínica de congelamento de óvulos, vale a pena pesquisar:

  • Quem compõe a equipe médica do lugar? Essas pessoas são especialistas em fertilidade? Há quanto tempo atuam?
  • Quais são os depoimentos de quem já passou por essa clínica? Ela tem avaliações no Google? Você recebeu uma indicação?
  • Qual é a estrutura do lugar? Ela está preparada para diferentes tipos de tratamento de reprodução assistida? Quais são as soluções tecnológicas que a clínica oferece?

Além disso, se possível, vá até o lugar e faça uma consulta para falar sobre congelamento de óvulos. Nessa primeira conversa, você consegue tirar todas as suas dúvidas e entender melhor se aquele lugar te faz sentir tranquila e confiante.

Quarta etapa: Estimulação ovariana

Com a clínica certa escolhida, o congelamento de óvulos já pode começar. E a primeira fase desse processo é a estimulação ovariana: momento em que a paciente é submetida a algumas medicações para amadurecer mais de um óvulo por ciclo menstrual.

Para isso, é necessário tomar injeções diárias por um período que pode ir de 10 a 15 dias. Apesar de poder ser um pouquinho desconfortável para algumas pessoas, essa fase não causa dor, e os efeitos colaterais, caso haja, são sintomas típicos da TPM: inchaço abdominal, sensibilidade nas mamas e desconforto na área dos ovários.

Durante a estimulação ovariana, também é necessário fazer alguns ultrassons pélvicos, para acompanhar o desenvolvimento dos folículos. Esses exames são feitos pela médica que te acompanha.

Quinta etapa: Extração dos óvulos

Quando os seus folículos ovarianos estiverem no ponto certo, é hora de tomar uma medicação diferente e voltar ao consultório médico em até 36 horas para a extração dos óvulos maduros. Com a ajuda de uma agulha, e guiada pelo ultrassom vaginal, a sua médica faz a aspiração dos óvulos.

Parece desconfortável, mas a gente garante: não precisa se preocupar. O procedimento dura, em média, uma hora (ou seja, é bem rapidinho!) e não costuma doer. Afinal, você recebe uma sedação leve, que te mantém acordada, mas faz com que todo o processo seja muito mais tranquilo.

A recuperação também costuma ser rápida: não é necessária internação e você já pode voltar para a sua vida normal no dia seguinte. 

Sexta etapa: Criopreservação

Agora que os seus óvulos já foram coletados, é hora do laboratório fazer a parte dele e congelar esse material. A criopreservação é a forma mais segura de armazenar os óvulos, que podem ficar guardados por até 10 anos. 

O processo de congelamento acontece por meio da vitrificação: um congelamento ultrarrápido do tecido dos óvulos. Dessa maneira, eles ficam preservados por um tempão, prontos para serem descongelados e fecundados no futuro.

Sétima etapa: Depois do congelamento

O congelamento de óvulos já acabou, e agora cabe a você decidir por quanto tempo eles ficarão armazenados na clínica de fertilidade. Se você optar por engravidar dali algum tempo, basta comunicar à clínica e descongelar os óvulos, que estarão prontos para serem fecundados e implantados outra vez, por meio da Fertilização In Vitro (FIV).

Se, por outro lado, você acabar engravidando naturalmente e/ou decidir que não quer mais usar os óvulos congelados, tudo bem também. É direito seu solicitar o descarte adequado daquele material, ou doá-los para um banco de óvulos, ajudando outras pessoas a realizar o sonho da maternidade.

Quem pode fazer o congelamento de óvulos?

Qualquer pessoa pode fazer o congelamento de óvulos. Não há nenhum tipo de contraindicação para o procedimento, uma vez que o seu sucesso está ligado à quantidade e qualidade dos óvulos que serão coletados.

A melhor forma de saber se você deve congelar seus óvulos é através do exame AMH, que investiga a saúde da reserva ovariana. Caso as taxas estejam abaixo do indicado para a sua faixa-etária, o congelamento de óvulos se torna uma opção para a preservação da fertilidade.

Se, por outro lado, a sua reserva ovariana está dentro do recomendado, ou mesmo acima do padrão, o congelamento de óvulos pode não ser uma necessidade. Ainda assim, caso tenha vontade de congelar os óvulos, por qualquer motivo, não há razões para que não siga em frente.

Qual é a idade máxima para congelar os óvulos?

Não existe uma idade máxima universal para o congelamento de óvulos, tampouco uma idade ideal para realizar o procedimento; cada corpo é único e cada reserva ovariana também. Por isso, o mais recomendado é que quem tiver interesse pelo procedimento passe por uma avaliação individualizada, para entender sua vida fértil com base em dados concretos.

Ainda assim, de maneira geral, podemos dizer que é recomendado que pessoas que desejam passar pelo procedimento busquem congelar os óvulos até os 35 anos. Além disso, depois dos 40 anos, as chances de sucesso do congelamento de óvulos diminuem significativamente, o que pode fazer com que esse processo não seja indicado.

A recomendação para o congelamento antes dos 35 anos se deve ao fato de que, a partir dessa idade, em média, a nossa reserva ovariana começa a diminuir. Isso significa que liberamos menos óvulos, e que a qualidade desse material também já não é tão alta, o que pode afetar as chances de sucesso da gravidez. 

No quadro abaixo, essa relação fica mais clara, olha só:

O mesmo vale para quem deseja congelar óvulos depois dos 40 anos: apesar de não ser impossível, pode ser necessário um número maior de ciclos de congelamento para termos uma quantidade segura de óvulos — ou seja, no mínimo oito.

Por quanto tempo os óvulos ficam congelados?

Não existe um estudo científico que determine o tempo máximo de congelamento dos óvulos. No entanto, o consenso médico atual é que o período seja de até 10 anos. Depois disso, já não é possível garantir que a qualidade do material congelado estará intacta. 

Como a técnica de congelamento de óvulos ainda é muito recente, é necessário mais tempo para que estudos possam comprovar a eficácia da criopreservação por períodos longos. Mas isso não significa que você não pode se planejar com bastante antecedência, tá?

Quantos óvulos preciso congelar?

Para ter boas chances de engravidar no futuro, é recomendado congelar no mínimo oito óvulos. No entanto, não existe um limite máximo para o congelamento de óvulos, de modo que, quanto mais forem extraídos, melhor.

Além disso, mais do que uma grande quantidade de óvulos, é importante que eles tenham qualidade. Assim, quanto mais jovens formos durante o processo de congelamento, e quanto melhor o nosso estilo de vida, maiores as chances de serem extraídos óvulos maduros e saudáveis. 

Quanto custa congelar óvulos?

O preço do congelamento de óvulos pode variar muito, dependendo da região e da clínica escolhida. Na Oya Care, contudo, o procedimento custa R$23.500,00, e já inclui:

  • Orientações e suporte em consultas presenciais durante toda a sua jornada de congelamento, ao lado de uma equipe liderada por uma médica especialista em fertilidade;
  • Escolha do protocolo de indução da ovulação e adequação da dosagem dos medicamentos, com auxílio da equipe médica da Oya Care;
  • Todos os medicamentos para a etapa de indução da ovulação;
  • Avaliação periódica do crescimento dos folículos por ultrassom transvaginal;
  • Punção ovariana completa, com custos de centro cirúrgico, anestesia e coleta de óvulos;
  • Um ano de manutenção dos óvulos congelados.

Ou seja: você não tem nenhum gasto extra durante o processo. E mais: para quem tem óvulos congelados com a Oya, o preço da Fertilização In Vitro é menor.

Quais os efeitos colaterais do congelamento de óvulos?

Esta é uma das principais dúvidas sobre o congelamento de óvulos, e ficamos felizes em informar que, em geral, esse procedimento não causa efeitos colaterais

Durante a etapa de estimulação ovariana, algumas pessoas podem sentir inchaço e incômodo na região dos ovários. No entanto, esses sintomas são facilmente controlados com o uso de medicações para dor, como aquelas usadas para as cólicas menstruais.

Nas etapas seguintes, de extração e congelamento dos óvulos, o procedimento não causa nenhum efeito colateral e você pode voltar à rotina no dia seguinte!

Qual a chance de engravidar com óvulos congelados?

A chance de engravidar com óvulos congelados pode variar entre 30% e 60%, de acordo com os dados da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva. Mas o número de óvulos implantados e de ciclos de congelamento também tem um papel relevante nessa conta: de modo geral, cada óvulo tem uma chance de 2% a 12% de resultar em uma gravidez de sucesso.

E lembre-se: o ideal é congelar pelo menos 8 óvulos. Além disso, o Conselho Federal de Medicina permite a implantação de apenas 2 óvulos para mulheres de até 37 anos, e de apenas 3 óvulos acima dessa idade, por ciclo de FIV. Ou seja: se necessário, podem ser realizados mais de um ciclo de congelamento e de fertilização, ok?

Essa variação está ligada a fatores como idade, qualidade dos óvulos, estilo de vida e histórico de saúde. Por isso, um acompanhamento da sua vida fértil pode te ajudar a entender qual é o momento ideal para congelar óvulos e, depois, para engravidar.

Por que fazer o congelamento de óvulos?

O congelamento de óvulos é a maneira mais eficaz e mais segura de preservar a fertilidade de pessoas com ovários. Para quem ainda precisa refletir sobre essa decisão, essa é uma alternativa que oferece mais tempo sem afetar a sua qualidade de vida agora.

Nesse sentido, o congelamento de óvulos é indicado para quem:

Além disso, optar pelo congelamento de óvulos te dá mais tempo para focar em outras áreas da sua vida. Por isso, vale a pena considerar essa opção se você:

  • Quer focar na carreira;
  • Quer realizar outros sonhos primeiro;
  • Quer estar em um relacionamento antes de engravidar;
  • Quer/Precisa terminar um tratamento antes de engravidar.

Ou seja: o congelamento de óvulos é uma ferramenta para quem quer ter mais autonomia na hora de tomar decisões sobre o próprio corpo

A minha ginecologista pode congelar meus óvulos?

Talvez, mas é muito provável que não. Afinal, quando falamos em planejamento fértil e congelamento de óvulos, estamos fazendo referência a procedimentos que devem ser acompanhados por uma médica especialista em fertilidade. E quando dizemos “especialista”, queremos dizer de verdade: com Registro de Qualificação de Especialidade (RQE).

Embora exames de acompanhamento de fertilidade, como o exame AMH, possam ser solicitados por qualquer médica ginecologista, a sua interpretação e as possíveis ações a ser tomadas a partir dali requerem um olhar especializado. Além disso, apenas alguém com conhecimento (teórico e prático) na área vai saber tirar todas as suas dúvidas e orientar os seus próximos passos.

Na Oya Care, várias das nossas ginecologistas também possuem o RQE em Reprodução Humana, ou seja, são especialistas em fertilidade. Por isso, se você busca esse acompanhamento focado no cuidado fértil desde o começo, pode agendar uma consulta com a gente!

Ainda tenho dúvidas sobre o congelamento de óvulos. E agora?

Se você ainda tem perguntas sobre o congelamento de óvulos, não precisa se preocupar. A Oya Care também elaborou um e-book gratuito e super completo, com todas as informações que você precisa sobre esse processo. Para baixá-lo, é só preencher os seus dados abaixo:

Além disso, você também pode agendar uma consulta com uma das nossas médicas especialistas em fertilidade. A consulta pode ser online ou na nossa clínica, em São Paulo (SP). 

Por fim, você pode entrar em contato com a nossa equipe de cuidados pelo WhatsApp para tirar dúvidas mais pontuais. Nós estamos prontas para te orientar, sem respostas prontas e sem julgamentos. Vamos juntas!

Responda todas as suas dúvidas

Nossa equipe de ginecologistas especializados em fertilidade, ginecologia endócrina e sexualidade pode te ajudar

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais

Leia também

Conheça a Oya Care

Acreditamos que conhecimento é poder e esse é nosso espaço para falar sobre vários assuntos importantes para sua saúde, sua fertilidade e muito mais